Apresentação de Jesus no Templo

Apresentação de Jesus no templo (Lc 2,22-40)

Após 40 dias do seu nascimento Jesus é levado ao templo onde é oferecido a Deus, conforme a lei de Moisés, e manifestado ao mundo.
O oferecimento a Deus era uma maneira de pedir a Deus que a criança vivesse a vida toda segundo a vontade divina, que é sempre de vida, de amor.
A manifestação ao mundo é feita pelo velho Simeão, homem justo e piedoso,quando, inspirado pelo Espírito Santo diz: “que era a luz para iluminar as nações”.
Também nós fomos levados ao templo (igreja), ainda recém nascidos, e consagrados a Deus com o santo Batismo.
O Batismo foi a nossa verdadeira consagração a Deus. Nele Jesus
comunicou-nos a sua Vida divina, que é o Amor autêntico, tornando-nos membros vivos do seu corpo místico (espiritual), para ele viver em nós esse seu Amor ao longo da nossa existência e, assim, tornar sua a nossa vida, torná-la divina, de verdadeiros filhos de Deus, agradável à Trindade Santa e fonte de graças, por parte de Deus, para nós e para os outros.
Neste Sacramento aconteceu o que acontece no enxerto do galho no tronco. O tronco comunica a linfa (vida) ao ramo e passa a viver nele: florindo e produzindo frutos nele.
No Batismo, ainda, recebendo a vida de Deus – isto é, o seu Amor, e, por isso o mesmo Deus, porque Deus é o Amor – (1Jo 4,8,16) nós nos tornamos como lâmpadas, luz de Deus, visibilidade do seu Amor. Lembremos o que Jesus nos diz “Vós sois a luz do mundo”.
Na concepção no ventre de nossa mãe Deus nos deu a vida física. No
Batismo, pela morte e ressurreição de Jesus, deu-nos a vida divina, o Seu Amor. Isso para que vivêssemos nele na nossa vida humana de todos os dias e, assim poder receber o premio da felicidade no seu Amor infinito, depois da morte na eternidade.
Permaneçamos, cresçamos no seu Amor dia por dia, amando, fazendo o bem.
Tornemo-nos lâmpadas luminosas da sua Bondade, da sua misericórdia. E façamos tudo isso por Amor a Ele, que tanto nos ama e nos quer eternamente felizes.
Não apaguemos a luz da vela que recebemos no nosso Batismo e que simboliza esse amor divino, que deve resplandecer em cada momento de nossa vida naquilo que pensamos, dizemos e fazemos, para que ele se difunda na mente e no coração de todos.
“Eu sou a luz do mundo, Quem me segue não andará nas trevas, Mas terá a luz da vida (Jo 8,12) e tornar-se-á minha luz no meio dos outros.

Pe.Antonio Caliciotti.

Post criado 39

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo